Daniel Costa (UNIFESP)

Historiador e professor, licenciado em História pela UNIFESP, tem desenvolvido pesquisas acerca da corrupção na América portuguesa, especificamente no século XVIII. Publicou, entre outros trabalhos,Corrupção, corruptores e contrabando: uma discussão historiográfica sobre práticas ilícitas na América Portuguesa (C. Século XVIII) (2022)” eCaminhando entre veredas: Apontamentos sobre o contrabando e corrupção na América portuguesa (Pernambuco 1758-1778) (2023)”. ID LATTES: http://lattes.cnpq.br/9383874655339999 ; ID ORCID: https://orcid.org/0000-0001-7786-2678; E-mail: [email protected].

Trabalhos publicados em Crítica Historiográfica

Ilicitudes na América portuguesa – Resenha de Daniel Costa (UNIFESP) sobre o livro “Ladrões da República: Corrupção, moral e cobiça no Brasil, séculos XVI a XVIII”, de Adriana Romeiro


Resumo: A obra Ladrões da República: Corrupção, Moral e Cobiça no Brasil, Séculos XVI a XVIII de Adriana Romeiro visa compreender a corrupção no Brasil colonial. Romeiro utiliza uma ampla variedade de fontes para explorar as relações entre dinheiro, governo e corrupção. A obra é elogiada por sua profundidade e criticada pela densidade. Palavras-chave: Corrupção,...

Longa travessia – resenha de Daniel Costa (UNIFESP), sobre o livro “Escravos, marinheiros e intermediários do tráfico negreiro de Angola ao Rio de Janeiro (1780–1860), de Jaime Rodrigues


Resumo: Escravos, marinheiros e intermediários do tráfico negreiro de Angola ao Rio de Janeiro (1780–1860), de Jaime Rodrigues, explora a organização do comércio de africanos escravizados, durante os séculos XVIII e XIX, entre Angla e Brasil, pondo ênfase nas "negociações e conflitos", nas embarcações, nos protagonistas "marinheiros" e "africanos". Palavras-chave: Africanos, Marinheiros, Tráfico Negreiro.

Comemorar o quê? – Resenha de Daniel Costa (UNIFESP) sobre “Independência do Brasil: a história que não terminou”, de Antonio Carlos Mazzeo e Luiz Bernardo Pericás


Resumo: O livro Independência do Brasil: a história que não terminou, organizado pelos professores Mazzeo e Pericás, apresenta 12 artigos que refletem sobre o processo de Independência do Brasil com base em autores clássicos. A obra busca novas ponderações e elementos que ampliam a abordagem crítica sobre o fenômeno histórico. Palavras-chave: Independência do Brasil, Historiografia,...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pesquisa/Search

Alertas/Alerts

Daniel Costa (UNIFESP)

Historiador e professor, licenciado em História pela UNIFESP, tem desenvolvido pesquisas acerca da corrupção na América portuguesa, especificamente no século XVIII. Publicou, entre outros trabalhos,Corrupção, corruptores e contrabando: uma discussão historiográfica sobre práticas ilícitas na América Portuguesa (C. Século XVIII) (2022)” eCaminhando entre veredas: Apontamentos sobre o contrabando e corrupção na América portuguesa (Pernambuco 1758-1778) (2023)”. ID LATTES: http://lattes.cnpq.br/9383874655339999 ; ID ORCID: https://orcid.org/0000-0001-7786-2678; E-mail: [email protected].

Trabalhos publicados em Crítica Historiográfica

Ilicitudes na América portuguesa – Resenha de Daniel Costa (UNIFESP) sobre o livro “Ladrões da República: Corrupção, moral e cobiça no Brasil, séculos XVI a XVIII”, de Adriana Romeiro


Resumo: A obra Ladrões da República: Corrupção, Moral e Cobiça no Brasil, Séculos XVI a XVIII de Adriana Romeiro visa compreender a corrupção no Brasil colonial. Romeiro utiliza uma ampla variedade de fontes para explorar as relações entre dinheiro, governo e corrupção. A obra é elogiada por sua profundidade e criticada pela densidade. Palavras-chave: Corrupção,...

Longa travessia – resenha de Daniel Costa (UNIFESP), sobre o livro “Escravos, marinheiros e intermediários do tráfico negreiro de Angola ao Rio de Janeiro (1780–1860), de Jaime Rodrigues


Resumo: Escravos, marinheiros e intermediários do tráfico negreiro de Angola ao Rio de Janeiro (1780–1860), de Jaime Rodrigues, explora a organização do comércio de africanos escravizados, durante os séculos XVIII e XIX, entre Angla e Brasil, pondo ênfase nas "negociações e conflitos", nas embarcações, nos protagonistas "marinheiros" e "africanos". Palavras-chave: Africanos, Marinheiros, Tráfico Negreiro.

Comemorar o quê? – Resenha de Daniel Costa (UNIFESP) sobre “Independência do Brasil: a história que não terminou”, de Antonio Carlos Mazzeo e Luiz Bernardo Pericás


Resumo: O livro Independência do Brasil: a história que não terminou, organizado pelos professores Mazzeo e Pericás, apresenta 12 artigos que refletem sobre o processo de Independência do Brasil com base em autores clássicos. A obra busca novas ponderações e elementos que ampliam a abordagem crítica sobre o fenômeno histórico. Palavras-chave: Independência do Brasil, Historiografia,...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Resenhistas

Privacidade

Ao se inscrever nesta lista de e-mails, você estará sujeito à nossa política de privacidade.

Acesso livre

Crítica Historiográfica não cobra taxas para submissão, publicação ou uso dos artigos. Os leitores podem baixar, copiar, distribuir, imprimir os textos para fins não comerciais, desde que citem a fonte.

Foco e escopo

Publicamos resenhas de livros e de dossiês de artigos de revistas acadêmicas que tratem da reflexão, investigação, comunicação e/ou consumo da escrita da História. Saiba mais sobre o único periódico de História inteiramente dedicado à Crítica em formato resenha.

Corpo editorial

Somos professore(a)s do ensino superior brasileiro, especializado(a)s em mais de duas dezenas de áreas relacionadas à reflexão, produção e usos da História. Faça parte dessa equipe.

Submissões

As resenhas devem expressar avaliações de livros ou de dossiês de revistas acadêmicas autodesignadas como "de História". Conheça as normas e envie-nos o seu texto.

Pesquisa


Enviar mensagem de WhatsApp